sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Girl Germs: a Brooklyn Scene Report [parte 2]

Dia 20/01 eu postei aqui a primeira parte da tradução do scene report Girl Germs: a Brooklyn scene report, escrito por Kate Wadkins. Segue agora a segunda parte, com uma seleção de fotos de dois eventos citados no scene report: o The Big-She Bang e o Willie Mae Rock Camp for Girls. Essas imagens não foram incluídas no scene report publicado na Maximum RocknRool, escolhi para ilustrar melhor e (tentar) aumentar a curiosidade de vocês em relação ao que essas mulheres estão fazendo. Para ler a parte 1 da tradução clique aqui.

GIRL GERMS - A BROOKLYN SCENE REPORT
Escrito por KATE WADKINS
Traduzido por CARLA DUARTE
PARTE 2



Enquanto parece ser um pouco antiético que um show punk seja um espaço seguro, curadoras feministas e organizadoras de show do Strengh in Numbers e do For the Birds Collective estão tentando fazer exatamente isso. Strengh in Numbers é organizado por Karen Sorkin, e o seu lema é: “shows para mulheres de todas as idades” enquanto também providencia a organização de tours de bandas com/de mulheres.
For the Birds Collective é um coletivo e distro multifacetado feminista, organizando diversos zines e bandas feministas/femininas, além de organizar festivais de bandas de garotas e compilações dessas bandas. For the Birds collective tem organizado o The Big She-Bang, um festival de bandas de garotas, artistas, artistas plásticos, a lém de vários tipos de workshop, atuando em pproblemas da comunidade, há dois anos, revivendo os melhores anos do longo e extinto Long Island Womy’s Collective. O She-Bang dos anos passado aconteceu no ABCNoRio, esse ano (2009) foi em 15 de agosto no Judson Memoral Church em Washington Square South (na casa do Anarchist Book afair e uma lendária história radical).



Atualmente espaços físicos para iniciativas punk-feminista são poucos, então nós temos sorte de ter o Loft 1087, um espaço que tem uma política estrita: “sem sexismo, sem racismo, sem homofobia e sem deus”. Nós também tivemos boas notícias de um grande projeto de renovação para o ABCNoRio, que tem sido um espaço seguro DIY punk com uma política de “sem sexismo, sem machismo, sem homofobia, sem merdas machistas” há 30 anos.

Sem querer fazer inveja ou algo do tipo, mas com essa resurgência de garotas punks veio também uma presença mais consistente de artes visuais feitas por garotas. Cristy Road continua forte, escrevendo e ilustrando livros no Bed-Stuy.


Trabalhos de Cristy Road

Lauren Measure faz blusas e desenha capas de discos no Greenpoint.
Tamara, da ZOMBIE DOGS estampa blusas – aposto que você pensou de onde as camisas super legais da banda veem – e desenha posters de shows, juntos com outras coisas maravilhosas, no blog No Guts No Glory, do Stolen Sleeves no 538 Johnson.


Trabalhos de Tamara, no Big-She

Gina Marie, baterista da INA INA é dona da KING KOG, uma bicicletaria feminista na Graham Avenue. Fazendo blusas com estampas que fazem referência aos antigos flyers do Bikini Kill e trabalhos visuais, Gina está trazendo a revolução dela: Girl Style Now no mundo das bicicletas e as garotas ciclistas estão indo atrás dela.
Mindy Abovitz, baterista da MORE TEETH e TAIGAA! Recentemente iniciou a revista TOM TOM, “uma revista sobre garotas bateristas”, que traz guias DIY com “técnicas de terça feira”, ensinando técnicas de bateria no verdadeiro espírito de dividir dicas para melhorar a habilidade.
É difícil não mencionar os outros projetos feministas daqui: WILLIE MAE ROCK CAMP PARA GAROTAS, HOLLA BACK NYC, SUPPORT NY, RIGHT RIDES, SAFE WALK, MOMMA’S HIP HOP KITCHEN, e muito, muito mais.
Lembre-se que isso tudo está acontecendo na comunidade feminista em que eu vivo. Nova Yorque é imensa, existe muitas coisas acontecendo, então tenho certeza que não estou mencionando vários projetos. Acho que depende de nós descobrirmos o que, e ter esse interesse. Todos esses esforços, eventos e shows não são em vão. As garotas estão retomando o espaço delas na cena DIY punk. Garotas queer deixaram os clubes para dominar o contingente punk. Garotas em bandas, assumindo dupla e tripla jornada estão organizando espaços queer-ify punk. Nós somos a nova girl gang internacional e nós não vamos sair daqui.

This is the rest of the scene report I was translating. For those who didn’t read about it, click here.
I mean if I could translate to Spanish I’d totally do it. But I can’t, so I translated from english to portuguese to try to spread this new inspiring movement done by those girls. If I had more girls (or and boys) into this kinda thought I would start my own gang but the real thing is that there’s anyone like that around here. At least, I don’t know anyone. So, I can just do it by myself.
If you don’t have Maximum RocknRool you can read in English: here.

CONHEÇA MAIS:

The 1087 Loft: http://myspace.com/the1087loft
ABC No Rio: http://abcnorio.org
The Big She-Bang: http://myspace.com/thebig_shebang
Bluestockings (Radical Books): http://bluestockings.com
For the Birds Collective + Distro: http://forthebirdscollective.org
Holla Back NYC: http://hollabacknyc.com
King Kog: http://kingkog.com
Momma's Hip Hop Kitchen: www.mhhk.orgv
Right Rides: http://rightrides.org
Strength In Numbers: http://myspace.com/strengthinbrooklyn
Support New York: http://supportnewyork.org
Tom Tom Magazine: http://tomtommag.com
Willie Mae Rock Camp for Girls: http://williemaerockcamp.org

Selecionei "algumas" imagens do The Big She-Bang, elas estão diponíveis no flickr.




By Tamara Waite Santibanez






Quiero todos


Trabalhando no "Don't take any shit" (Não aceite qualquer merda)- Guia para sobreviver à violência sexista, feito por For the Birds e amigos, distribuído nos metros.


QUIERO TODOS!


Raooul @ Riot Grrrl Cover Show

Aqui eu perdi a linha! Willie Mae Rock Camp for Girls é tudo. Como não querer mostrar essas meninas lindas tocando? Elas já tem banda, enquanto eu continuo apenas falando sobre bandas. Muitas fotos pra vocês:
(tinham mais algumas, mas acho que o blogspot tá me boicotando). To listen to some songs recordead at the camp, click here.


KAYA


Pink Slips ao vivo


Coco Channel and The Zepelinettes


Hellish Relish


Pink Kitties

4 comentários:

íris disse...

amei, amei, amei!vontade de mudar pro brooklyn.


"Nós somos a nova girl gang internacional e nós não vamos sair daqui."

íris disse...

ahh sim, ce tem que conseguir esse zineeeees! será que não rola com a garota que escreveu o scene report?

Julie disse...

Cás, finalmente li! Incrível saber que ainda tem muita coisa acontecendo por aí, muita ação que não acaba virando "cena" só pra fazer pose. :)

hewrianne disse...

porra os trampos sao fodas parabens pras minas, agora fiquei mas estigada.