segunda-feira, 20 de julho de 2015

15 músicas lançadas em 2015 que você precisa ouvir



Seis meses deste ano já foram embora, e nesse meio tempo, muitos álbuns e EP's foram lançados. Muitas vezes, não conseguimos escrever sobre todos os álbuns novos que estamos ouvindo, mas isso não quer dizer que não temos boas dicas para compartilhar. Por isto, indicamos aqui 10 músicas que foram lançadas neste ano que você precisa ouvir. O critério de seleção é aquele que você já conhece: bandas feministas e/ou formadas por mulheres e/ou queer. Isso é tudo sobre visibilidade!



15 - Kitten Forever - Nightmare

O power trio de Minneapolis continua com seu punk torto e pogante. "Nightmare", pode ser tranquilamente confundida com alguma música bside de Bratmobile, mas com o vocal mais Mika Miko e menos Allison Wolfe. A música faz parte do split do Kitten Forever e Whatever Forever.




14 - Slutever - Open Wide

Almost Famous é o novo disco de Slutever, banda de Los Angeles. Com uma mistura de punk lo-fi com uma voz cheia de reverb, a dupla é mais uma da safra de novas bandas de garotas dos EUA.




13 - Upset - Glass Ceiling

Upset é a banda atual de Ali Koehler (que já tocou bateria no Best Coast e Vivian Girls) foi lançado pela Lauren Records o novo disco '76, que começa com a redonda "Glass Ceiling". Com vocal e refrão grudante, com certeza é um álbum que vale a pena ouvir.




12 - Waxahatchee - Breathless

Este ano foi lançado Ivy Tripp, o terceiro full lenght de Waxahatchee, projeto solo de Katie Crutchfield, que atualmente também toca Allison, sua irmã gêmea. As duas despontaram na cena faça você mesmo dos EUA com PS Eliot, banda incrível que você deve procurar. "Breathless" é o primeiro single do novo álbum que já tem clipe. 




11 - LuvBugs - Dissolver Sensações

Os cariocas Paloma Vasconcellos (bateria) e Rodrigo Pastore (guitarra e voz) fazem um lo-fi garageiro com pitadinhas de shoegaze no LuvBugs, que vale a pena dar um confere. Enxaqueca é o novo álbum da banda, que em "Dissolver Sensações" descreveu muito bem como me sinto andando pelo Rio de Janeiro em dezembro ou janeiro.





10 - Oshun - #

Esta lista está cheio de duos de garotas, e com certeza Oshun, musicalmente, é o mais diferente deles. Thandiwe e Niambi Sala têm menos de vinte anos (assim como as garotas do Girlpoll e Slutever) e fazem hip-hop carregado de influencias do reggae e soul, fazendo referência as cultura e religiões africanas. Elas são de Nova Iorque e vale muito a pena buscar o som delas.






9 - GxLxOxSxS - G.L.O.S.S. (We're From The Future)

Diretamente de Olympia (mesma cidade do RVIVR), GxLxOxSxS é a única banda de hardcore d-beat da lista. A música, que fala sobre mulheres trans e feminilidades, abre a demo lançada em janeiro. Fundamental ouvir.





8 - Tomboy - I'm In The Fucking Band

A punk garageira lo-fi Tomboy, lançou em abril deste ano, pela Ride the Snake Records, seu primeiro full lenght. "I'm in the Fucking Band" é a música autoexplicativa que as garotas de Boston (Massachuselts) criaram para ajudas os omi a entenderem que:

1) Elas não estão no show esperando os namorados tocarem
2) Elas não estão perdidas
3) Elas são da porra da banda e não precisam de ajuda para montar os instrumentos para tocarem

Me sinto repetitiva e num túnel do tempo por, nesta lista, por motivos políticos dar destaque pra essa música. Igualmente boa e antisexista é "Sweetie", que você pode conferir no bandcamp delas.




7 - Hop Along - Powerful Man

Hop Along (banda de Filadélfia) lançou o excelente Painted Shut em maio, pelo Saddle Creek Recs. No mesmo dia, o vídeo de "Powerful Man", que traz a inconfundível voz de Francis Quinlan, também foi lançado. Álbum e música mostram o lado mais inconformado da banda, que mescla as guitarras melódicas, aos quase gritos de Francis de forma muito boa.






6 - Try The Pie - Unpronounced

Domestication com certeza é um álbum importante para o CT. O Fernando já falou sobre o álbum e a relação que tem com ele. Try The Pie é o atual projeto de Bean Kaloni Tupou (a Christine da Sourpatch e Crabbaple) e tudo que ela faz tem aqueles riffs que embalam letras bonitas e reflexivas.




5 - Girlpool - Before the World was Big

O segundo full lenght do duo Girlpool, Before the World was Big, me cativou na primeira ouvida. Mas não mais do que a música que dá nome ao álbum, que me leva a locais inóspitos e me surpreende, sempre. Mesmo sendo delas, parece que a música é minha.






4 - Sheer Mag - Fan the Flames

Pensa em uma banda de rock n' rool, com guitarras muito fodidas e uma voz maravilhosamente pop e convidativa para dançar. É exatamente isso Sheer Mag (Filadélfia), com a sua vocalista Christina Halladay fazem. Eu duvido que você não vai ter vontade de levantar e dançar. E por favor, faça isso, porque essa é uma banda "one of a kind". Original e sem se parecer com outras bandas contemporâneas.






3 - Ms. Lauryn Hill - Feeling Good

Para mim, poucas pessoas podem se dar ao luxo de fazer um cover de Nina Simone de qualidade. Por mais que eu saiba que Ms. Lauryn Hill é incrível, ainda me surpreendi com seu "Feeling Good" e "I've Got Life", que são poderosas, vivas e audazes, assim como as originais. A música foi gravada para o álbum Nina Simone Revisited: A Tribute To Nina Simone, que serve como um complemento ao documentário What Happened, Miss Simone?" lançado pelo Netflix em junho. 







2 - Worriers - They/Them/Theyrs

Guitarras cheias de sentimento dão vazão para a voz potente, grave e linda de Lauren Dentizio (The Measure S/A) que canta sobre pronomes e gênero neutro em "They/Them/Theyrs'. Worriers (do Brooklyn/NY), que já tem um LP e dois EP's, vai lançar em breve o primeiro full lenght, Imaginary Life, produzido por Laura Jane Grace (Against Me!). Com certeza esse disco vai entrar para a nossa lista de melhores de 2015.




1 - Downtown Boys - Wave of History

Este é o melhor clipe que assisti este ano. Somente ele, e suas imagens, conseguem tirar a minha atenção da voz poderosa e rasgada de Victoria Ruiz, frontwoman de Downtown Boys, que dá uma aula de política. A banda, de Providence (Rhode Island), fez um vídeo crucial e urgente, que pode ser exibido nas aulas de História e também para aqueles que duvidam da efetividade política do punk.



Um comentário:

magdiel araujo disse...

SLUTEVER é bem legaal, Já sou fã do Kitten Forever, Upset é legal pra caralho.
Waxahatchee eu já conhecia e amava. <3
Adorei LuvBugs.
Òóré Yéyé ó! Oshun
G.L.O.S.S. eu acho que já vi, mas posso estar enganado.
Amei demais Hop Along, Try The Pie é adorável... Gente, lista do caralho!