domingo, 26 de abril de 2015

O contador de visitas quebrou e comecei a pensar em muita coisa

Com o post it lifesytle as coisas acontecem. Colagem: Carla Duarte

Esses dias me dei conta de que o meu contador de visitas preferidos, o ClustrMaps, quebrou. Ele ainda existe, mas todos os blogs hospedados no servidor www4 (este estava lá) tiveram seus dados perdidos e não serão mais atualizados. Este contador é aquele mapa mundi que mostra os países que acessam o seu blog e deixam o mapa cheio de bolas vermelhas, mostrando a localização dos usuários. Mas porque estou falando nisso?

Em 2010, o blog já existia há quatro anos. Claro, era uma proposta diferente de hoje em dia, mas eu já me perguntava se alguém de fato visitava essa birosca. E naqueles tempos, o blogger não mostrava as visualizações por post. Foi quando me aventurei a colocar os contadores na página, sendo que o meu preferido foi sempre o ClustrMaps. Perder esses milhares de dados de visitas me fez pensar na própria história do blog, e raramente faço esses posts que não falam sobre música/feminismo/zines, mas hoje vou fazer. 

RIP Clustr Maps




O fato é que o contador de visitas quebrou.. e comecei a lembrar e pensar em algumas coisas.. 

Seria muito legal, mas ao contrário das blogueiras profissionais, não ganho dilmas pelo que faço aqui. Mas acredito no que faço - por mais que as vezes me pergunte se não estou insistindo em algo que já deveria ter parado de fazer - e gosto de me dedicar ao blog. Bem nerd, né?
Justamente por ser uma nerd, e por não ter uma comunidade próxima que gosta e acredita nas mesmas coisas, vou tocando o blog. A questão é que a rotina, o trabalho e os fracassos ajudam a gente se esquecer quem a gente é, no que a gente acredita. E de certa forma, acho que o blog (e também os zines, colagens, etc) me ajudam a mandar a adultice cretina e hipócrita para bem longe. 

Ok, eu faço isso por mim mesma, e acho até que isso é uma forma de empoderamento. Mas não tem como não lembrar das pessoas que desacreditam em mim e no que faço. Por exemplo, o cara que tenta invisibilizar o blog e fala pra quando eu tiver alguma sugestão de banda pra download para falar com ele. Sendo que ops, faço o mesmo no meu blog há bastante tempo. Como não cheguei aqui ontem, dá para saber quando o uzomi está sendo condescendente e paternalista e quando está com boa fé. E advinha? A boa fé quase nunca rola. 



E como esquecer daquele cara que manja tudo de bandas Riot Grrrl/Queercore (coloque aqui todos os subgêneros que se referem a mulheres fazendo música contracultural), que não revê seus privilégios, que acha que pode protagonizar qualquer temática de banda de mulher e ainda tem a audácia de praticar mansplaning*?

*Livre-tradução: segundo o Dicionário Oxfordmansplaning significa um homem explicando alguma coisa para alguém, tipicamente uma mulher, de uma maneira considerada condescendente ou paternalista. 

Já vi texto meu ser copiado e colado em outro site, literalmente, de comparar os dois parágrafos e ver exatamente a mesma coisa. Já ouvi muita fala homofóbica e misógina contra amigas. Já vi a sororidade ocasional e a falta de empatia entre minas punx. É, a lista é grande e nem vale a pena ficar reforçando isso. Estou nesse role punk/punk feminista há tempo suficiente para reconhecer que é mesquinho, egoísta, arrogante e cheio de gente que se acha muito importante. É risível. É meritocrático. Eu disse que não ia reforçar a parte negativa, eu sei.

Mas o lance é que o punk, os zines, o feminismo, isso tudo é sobre quem eu sou. Sobre quem você é. Sobre as boas pessoas que a gente encontra e como elas se tornam o punk para nós. Sobre ouvir Cólera e Bulimia bem depois da adolescência e ainda querer destruir o que deve ser destruído. Sobre ver nos seus amigxs - e não em kings que dizem o que é uma cena - o punk. Gente desgraçada sempre vai dar role e o lance é ocupar o seu espaço, sem abaixar a cabeça, e ainda pogar ouvindo bandas de minas fodas e que te dão mais vontade de continuar fazendo o que você faz. 

O que um contador de visitas quebrado não faz, né? Valeu aí toda munda que está sempre por aqui, comentando ou não. É muito massa ver que não estamos "falando sozinhas". Para reforçar o carinho, deixo o gif fofo:

4 comentários:

Camila Puni disse...

Adorei o texto! Vc é inspira (ar) ação!

Camila Puni disse...

Adorei o texto! Vc é inspira (ar) ação!

Fernando Nandolfo disse...

Ainda morro com uns posts desses..

boredcarla disse...

Puni <3 <3
Fernando: tinha um pouco de você na cabeça quando escrevi esse texto =)