quinta-feira, 4 de julho de 2013

365 dias de arte feminista

Designer e zineira Midge Blitz passou um ano criando diferentes ilustrações sobre feminismo


Por Midge Blitz - Trecho de letra do The Two Funerals

Comprometer-se ao exercício de criar todos os dias, durante um ano, uma imagem que falasse sobre feminismo. Foi nessa empreitada que Midge Blitz, crafter, zineira e designer, se envolveu. O projeto 365 Ways of Feminism, em tradução livre, 365 Formas de Feminismo, foi postado no tumblr da artista, e terminou ontem, dia 3. 

Há um ano Midge começou a postar, e sua motivação era desenhar/pintar/fazer colagens de diferentes símbolos do feminismo - e incluído nele está o Riot Grrrl, considerado por algumas parte da 3a onda feminista - usando diferentes meios e métodos. Caneta, fotografia, glitter, rímel, esmalte, plástico bolha e até mesmo espinafre se tornaram matéria prima para a artista, que criou diversos olhares sobre o espelho de vênus e triângulo negro, ícones do feminismo.

Por Midge Blitz

Por Midge Blitz

Em seu primeiro post, a artista contou que uma de suas principais motivações ao criar o 365 Formas de Feminismo era mostrar como o movimento feminista é multifacetado, porém, utilizando a arte para fazer isto. Um olhar sem preconceitos e com alguma leitura sobre o feminismo pode perceber isso - afinal, não existe apenas um movimento feminismo ou apenas uma mulher, esses são diversos e vão atender à demandas diferentes. Com seu trabalho, Midge conseguiu expressar isso.

Parte da sua ética vem do Faça Você Mesma (Do It Yourself), e a norte-americana utilizou em vários momentos suas próprias ferramentas para criar as imagens. Que zineira que passou horas de sua vida escrevendo, fazendo colagens, recortando, colando e xerocando não se identifica com a sensibilidade - e criatividade - de Midge ao juntar as ferramentas básicas para fazer zines e recriar o espelho de vênus?

Por Midge Blitz (a zineira aqui passa mal)

É, é delineador - Por Midge Blitz


E ela ainda costura! Por Midge Blitz

Além de saber utilizar o photoshop, saber costurar, recortar e criar - como se fosse algo tão simples e fácil - enfim, além da técnica e da criatividade, o 365 Formas de Feminismo de Midge mostra comprometimento, afinal, a zineira não deixou de criar diariamente. Com chuva, sol, cólicas, festas, alegrias ou tristezas, teve post todos os dias.  Além disso, o perfeccionismo e detalhismo imensos, revelam com facilidade que ela é, como a própria fala, uma "virginiana típica". Yay virginianas (e as que tem ascendentes e luas) que sabem utilizar bem suas características!

Alto falante feminista? Tem também - Por Midge  Blitz

Se Midge se lembrou das feministas veganas ou das veganas feministas? Sim senhora. Se não estou enganada, o vegetal escolhido para o trabalho abaixo é espinafre (estou errada?). Além de criativo é nutritivo, como todo bom feminismo deve (pode?) ser.

Por Midge Blitz

Riot Grrrl


Um dos temas constantes nas ilustrações/colagens de Midge foi o Riot Grrrl, de inspirações à homenagens, usando letras de música e toda a estética punk feminista. Selecionei - fica calma, o post já está acabando - três trabalhos que fazem referência direta ao Riot Grrrl. 

Começando com a mais que manjada, hino, clássico, à música "Rebel Girl", do Bikini Kill, Midge muda a rainha de lugar. Se na letra do quarteto de Olímpia a rainha era a do bairro, a de Midge é a do mundo. E ela vem com pelos nas pernas e tudo, pois por aqui não se pratica policiamento do corpo alheio.



Outra referência ao movimento foi a releitura da "varinha feminista com a estrelinha" - talvez haja um nome mais apropriado e bonito para ela, mas já não lembro. Se você não se lembra dessa imagem, veja aqui. No post, Midge ainda cita um trecho de "Star Fish", outra música do Bikini Kill. 

Por Midge Bllitz


Em seu blog, Midge disse que estava com muito orgulho de si mesma além de realizada, por ter se esforçado e se motivado a ponto de completar um ano todinho do projeto. Se ela se estressou durante o percurso? Certamente, mas segundo ela, valeu muito a pena. Sem dúvidas, né?

Só eu que fico com essa vontade de ser Midge Blitz? Não de um jeito Malkovich insano e cinematográfico, mas para "ser" no sentido de se inspirar nela, em sua criatividade e dedicação ao projeto. Não tem como negar, sempre que encontro uma garota ou umx gartox com um projeto inspirador, inteligente me encanto e fico querendo um pouco do que a pessoa tem como motivação. Quero ser Midge Blitz, e você?

E pra terminar bonito, ficamos com a homenagem ao Huggy BearO projeto completo pode ser visto aqui.


Por Midge Bllitz

2 comentários:

Larissa Duarte disse...

Oie!
Acabei de conhecer o blog e já tô apaixonada. Mas me ajuda: como chama a tal da "varinha feminista com a estrelinha"? Não conhecia o símbolo, e achei muito fofo, mas fiquei sem entender se é uma referência a alguma música ou o quê...
Obrigada e um beijão!

boredcarla disse...

Oi Larissa,

Então o desenho foi feito para alguma arte de ep ou zine riot grrrl, e vira e mexe aparece em pesquisas sobre o assunto. É só uma referência que não sei exatamente de onde veio.

Se eu tivesse visto seu comentário antes teria respondido sem demorar tanto!